O seu Blog de Espiritismo.

O Espiritismo é uma Religião?

24-04-2011 16:09

 

Francisco Rebouças

 

Grande parte, dos adeptos da doutrina espírita, convive com uma dúvida atroz, sem saberem o que responder a quem lhes formule a simples pergunta: o Espiritismo é ou não uma religião? E, bombardeados pelos que dizem sim, e os que teimam em afirmar que não, ficam sem uma opinião definida sobre o assunto, preferindo então adaptarem-se ao convívio com a eterna incerteza, ao invés de procurarem as fontes da própria codificação para dirimi-la.
 


 

Inicio este artigo fazendo algumas inquirições: Se o espiritismo não for uma religião, qual será então a religião dos seguidores do espiritismo? Serão ateus? Serão falsos católicos, protestantes, budistas etc., chamo de falsos, por não professarem e nem observarem suas filosofias e seus rituais da maneira com eles são pregadas em seus templos por seus fiéis seguidores.


 

Vou então, em busca da definição da palavra, em nosso Dicionário da Língua Portuguesa, onde consta que: Religião, s.f. Culto prestado à divindade; doutrina ou crença religiosa; acatamento às coisas sagradas; fé; devoção; piedade; crença viva; (fig.) tudo que é considerado como um dever sagrado; respeito; escrúpulo. (Do lat. Religione). Penso que só pela definição morfológica da palavra, acima mencionada, não restaria mais qualquer dúvida sobre a classificação do espiritismo como religião, certo? De qualquer forma, vamos em frente. ¹


 

Muitos desses defensores da teoria de que a doutrina espírita não é uma religião, citam para tanto as mesmas fontes que nós outros que defendemos o contrário; com a diferença de que eles apresentam dessas fontes somente o que lhes convêm apresentar, não trazendo também outros tantos argumentos contrários as suas teses, constantes das mesmas obras, que são simplesmente deixadas de lado, e, se o indivíduo que carrega a dúvida não se dedicar à pesquisa, no mínimo, não terá conhecimento suficiente para pelo menos comparar os argumentos de ambas as correntes e tirar suas próprias conclusões.


 

Por essa razão, mergulho nos mesmos livros mais utilizados pelos que não querem que o espiritismo seja considerado uma religião, para trazer os argumentos dos que defendem que também o espiritismo é sim uma religião; chamando a atenção para o fato de que é preciso separar apenas às convenções humanas, estabelecidas por outras correntes religiosas que incorporaram em suas práticas religiosas, dogmas, rituais, etc., que não são absolutamente encontrados na doutrina espírita.


 

Assim sendo, trago a abalizada palavra do insigne codificador do espiritismo, em minha modesta opinião a autoridade máxima sobre o assunto em questão, no discurso proferido em primeiro de novembro de 1868, onde Allan Kardec, explica de forma bem clara não deixando qualquer tipo de dúvidas sobre o assunto, conforme segue:


 

“ (...) Se, assim é, dir-se-á, o Espiritismo é uma religião? Ora, sim, sem dúvida, senhores. No sentido filosófico, o Espiritismo é uma religião, e nós nos glorificamos por isto, porque é a doutrina que fundamenta os laços da fraternidade e da comunhão de pensamentos, não sobre uma simples convenção, mas sobre bases mais sólidas: as mesmas leis da natureza.


 

Por que, pois, declaramos que o Espiritismo não é uma religião? Pela razão de que não há senão uma palavra para expressar duas idéias diferentes, e que, na opinião geral, a palavra religião é inseparável da de culto; que ela desperta exclusivamente uma idéia de forma, e que o Espiritismo não a tem. Se o Espiritismo se dissesse uma religião, o público não veria nele senão uma nova edição, uma variante, querendo-se, dos princípios absolutos em matéria de fé; uma casta sacerdotal com um cortejo de hierarquias, de cerimônias e de privilégios; não o separaria das idéias de misticismo, e dos abusos contra os quais a opinião freqüentemente é levantada.


 

O Espiritismo, não tendo nenhum dos caracteres de uma religião, na acepção usual da palavra, não podia, nem deveria se ornar de um título sobre o qual, inevitavelmente, seria desprezado; eis porque ele se diz simplesmente: doutrina filosófica e moral". ²


 

No Livro O que é o Espiritismo, no diálogo de esclarecimento que mantêm com o padre, segue Allan Kardec, em suas argumentações sobre o assunto:


 

O Padre. Não podeis entretanto, contestar que o Espiritismo não está, em todos os pontos, de acordo com a religião.


 

A.K. Ora, senhor abade, todas as religiões dirão a mesma coisa: os protestantes, os judeus, os muçulmanos, assim como os católicos.


 

Se o Espiritismo negasse a existência de Deus, da alma, da sua individualidade e da imortalidade, das penas e recompensas futuras, do livre arbítrio do homem; se ele ensinasse que cada um só deve viver para si, não só seria contrário à religião católica, como a todas as religiões do mundo; ele seria ainda a negação de todas as leis morais, bases das sociedades humanas.


 

Longe disso: os Espíritos proclamam um Deus único, soberanamente justo e bom; eles dizem que o homem é livre e responsável por seus atos, recompensado ou punido pelo bem ou o pelo mal que houver feito; colocam acima de todas as virtudes a caridade evangélica e a seguinte regra sublime ensinada pelo Cristo: fazer aos outros como queremos que nos seja feito.


Não são estes os fundamentos da religião? (...).


 

(...) Que prova isto? Que não somos Ateus, o que não quer dizer que sejamos professos de religião formada (...).


 

(...) O Espiritismo, como doutrina moral, só impõe uma coisa: a necessidade de fazer o bem e evitar o mal. É uma ciência de observação que, repito, tem conseqüências morais que são a confirmação e a prova dos grandes princípios da religião; quanto às questões secundárias, ele as abandona à consciência de cada um.


 

(...) Se o Cristo disse a verdade, o Espiritismo não podia dizer outra coisa, e em vez de por isso apedrejá-lo, deve-se acolhê-lo como poderoso auxiliar, que vem confirmar, por todas as vozes de Além-Túmulo, as verdades fundamentais da religião, combatidas pela incredulidade.


 

(...) Qual terá mais valor aos olhos de Deus: a prática das virtudes cristãs sem os deveres da ortodoxia, ou a destes últimos sem a da moral? ³


 

“O Espiritismo é forte porque assenta sobre as próprias bases da Religião: Deus, a Alma, as Penas e as Recompensas futuras” (...).- O Livro dos Espíritos (Conclusão, item V); 4


 

“(...) O Espiritismo repousa sobre as bases fundamentais da Religião e respeita todas as crenças; (...) Um de seus efeitos é incutir sentimentos religiosos nos que os não possuem, fortalecê-los nos que os têm vacilantes (...).”- O Livro dos Médiuns” (1ª Parte, Cap. III, 24); 5


 

O Espiritismo, longe de negar ou destruir o Evangelho, vem ao contrário, confirmar, explicar e desenvolver, pelas novas leis da natureza, que revela, tudo quando o Cristo disse e fez; elucida os pontos obscuros do ensino cristão, de tal sorte que aqueles para quem eram ininteligíveis certas partes do Evangelho, ou pareciam inadmissíveis, as compreendem e admitem sem dificuldade, com o auxílio desta doutrina (...). – A Gênese (Cap. 1, 41); 6


 

“O Espiritismo, que se funda no conhecimento de leis até agora incompreendidas, não vem destruir os fatos religiosos, porém sancioná-los, dando-lhes uma explicação racional (...) – Obras Póstumas (I Parte, Manifestações dos Espíritos, nº 7). 7


 

Finalizando, este nosso pequeno resumo, alertamos a todos para a necessidade do estudo sério e aprofundado da doutrina espírita, para não nos deixarmos influenciar por esta ou aquela tese, defendida por este ou aquele indivíduo, como nos ensina o codificador do espiritismo, e por essa razão necessitaremos de muita perspicácia aliada a uma sólida base doutrinária, para podermos nós mesmos, optarmos por esta ou aquela teoria por estar ela, em nosso entendimento mais condizente com tudo que conhecemos da doutrina que dizemos professar.


 

A diferença que tanto divide opiniões não passa de pequeno detalhe a ser observado que é: O espiritismo não é uma religião no sentido usual da palavra, como bem nos coloca o codificador, no sentido de que não incorpora rituais, dogmas variados, sacramentos, hierarquias sacerdotais, uso de vestimentas especiais, objetos santos ou sagrados e cultos ou práticas exteriores.


 

Mas sim, no seu legítimo e verdadeiro significado, ou seja: um elo de ligação entre o homem e Deus (pois é este o significado original da palavra religião; do latim: religare), mostrando-nos os verdadeiros caminhos que nos levarão de encontro ao Pai Criador de tudo e de todos, não dando nenhuma importância a forma, mas sim ao conteúdo pelo (pensamento), o que torna o Espiritismo a verdadeira religião, pois, esclarece-nos que o Reino de Deus não se conquista com aparências exteriores, e sim, com a pureza de coração, pois é isso o que Deus deseja de seus filhos.


 

 

Fontes:


 

1) Dicionário Brasileiro Globo – Francisco Fernandes Celso, Pedro Luft, F. Marques Guimarães

30ª – Edição , SP. 1993;

2) Kardec, Allan, Revista Espírita, IDE – novembro do ano 1868,

3) Kardec, Allan, O Que é o Espiritismo – FEB, 40ª edição;

4) Kardec, Allan, O Livro dos espíritos – FEB, 77ª edição;

5) Kardec, Allan, O Livro dos Médiuns – FEB, 68ª edição;

6) Kardec, Allan, A Gênese – FEB, 37ª edição;

7) Kardec, Allan, Obras Póstumas – FEB , 13ª edição;

8) Grifos nossos.

Procurar no site

Contatos

Francisco Rebouças

O Verdadeiro Passe Espírita

Palestra Cristiane Parmiter na U.M.E.N.

www.youtube.com/watch?v=3bE3wVzwoxc

Matéria sobre a simples imposição das mãos não convence!

    Simples Imposição das Mãos, porquê?   Caros amigos, volta e meia somos surpreendidos com matérias contendo argumentos de...

O verdadeiro Passe Espírita - R.E.

  Na Cura pelo passe, o Médium passista tem um papel fundamental, não pode ser apenas um mero robô de mãos estendidas como se nada dependesse...

Artigos

26-04-2017 19:03

“Somos servidores do Cristo”

“E, achando-o, lhe disseram: Todos te buscam”. (MARCOS, 1: 37.)   Deus nos impôs o processo reencarnatório, como sublime oportunidade para que...
06-07-2016 22:23

A Celeste indulgência

Porque também nós éramos, outrora, insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias paixões e deleites, vivendo em malícia e inveja,...
06-07-2016 12:30

A CARIDADE DA TRANSFORMAÇÃO

  Importante não esquecer o valor da beneficência que ampara o enfermo, alimenta o faminto e esclarece o equivocado; da mesma forma, é também...

 

OMS: Suicídio já mata mais jovens que o HIV em todo o mundo

OMS: Suicídio já mata mais jovens que o HIV em todo o mundo

"As pessoas simplesmente pensam que é um crime ter pensamentos suicidas. Não deveria ser...

Francisco Rebouças no Programa " ESPIRITISMO FOCO"

Francisco Rebouças no Programa " ESPIRITISMO FOCO"

http://www.espiritismoemfoco.com.br/2011/08/programa-dia-29082011-tema-o-bem-e-o.html 

Nossa entrevista para a revista O Consolador!

 http://www.oconsolador.com.br/ano2/70/entrevista.html

Artigos

26-04-2017 19:03

“Somos servidores do Cristo”

“E, achando-o, lhe disseram: Todos te buscam”. (MARCOS, 1: 37.)   Deus nos impôs o processo reencarnatório, como sublime oportunidade para que trabalhemos pelo nosso progresso e aperfeiçoamento intelectual, moral e espiritual, desenvolvendo as duas asas que nos proporcionarão perfeito...
06-07-2016 22:23

A Celeste indulgência

Porque também nós éramos, outrora, insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias paixões e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos...
06-07-2016 12:30

A CARIDADE DA TRANSFORMAÇÃO

  Importante não esquecer o valor da beneficência que ampara o enfermo, alimenta o faminto e esclarece o equivocado; da mesma forma, é também imprescindível não esquecer que precisamos empregar todos os esforços possíveis para alavancar o nosso aprimoramento próprio em todos os sentidos....
20-08-2015 17:17

ACIMA

Emmanuel ...“Ninguém que,tendo posto a mão no arado, olha para trás, éapto para o Reinode Deus.” Jesus (Lucas, 9:62).   A  fim  de  que  nos  promovamos  à  condição  de  obreiros  mais  eficientes,  na  Seara...
03-08-2015 22:32

A REFORMA PEDE URGÊNCIA

  “Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo”. - Paulo. I - CORINTIOS 12:4. ¹ Quando o Positivismo alcançava absurdos índices de negação, com Auguste Comte., e o Catolicismo pregava as extravagâncias da afirmativa, com Pio IX que proclamava a infalibilidade papal, os...
11-05-2011 12:20

Estudar, para divulgar com acerto!

  O verdadeiro alerta de Emmanuel, sobre a caridade com a doutrina Espírita!   Freqüentemente ouvimos de variados companheiros do movimento espírita, de diversas regiões do país, a frase que flui de forma automática de seus lábios, pela qual o conhecido espírito Emmanuel, teria afirmado...
01-05-2011 15:00

Este é o Momento

  Este é o melhor momento, para você começar a sua tão sonhada renovação.   Se a tristeza te quer dominar os sentimentos, reage e medita no benefício que a alegria pode te proporcionar ao corpo e ao Espírito Imortal que procede do Amor Divino que a tudo e a todos envolve.   Se a...
29-04-2011 09:05

Espiritismo, fonte de Luz

"Se Deus é por nós, quem será contra nós...".  Romanos, 8/31. É preciso se esteja atento para a correta compreensão das finalidades da doutrina espírita; como Consolador Prometido inicialmente consola; e consola esclarecendo. Em seguida, esclarece; e o faz consolando.   Por essa razão,...
24-04-2011 16:57

Porque somos contra o Aborto?

      Como cristãos que somos, não podemos de forma alguma compactuar com mais esse absurdo que está sendo cometido contra a sociedade da qual fazemos parte e devemos por isso mesmo ser...
24-04-2011 16:51

O Espírito de Verdade

  José Francisco Costa Rebouças Como espírita que somos, procuramos dedicar toda a atenção aos ensinamentos da nossa doutrina, com a intenção de externar nossa própria interpretação sobre os diversos temas abordados por ela, perfeitamente fundamentados nos conceitos contidos na codificação do...